دون حق

Sem direito à voz, sem direito político, sem direito à escolha, sem direito ao ensino, sem direitos sem direito algum.

Muitas são as restrições  impostas às mulheres afegãs que vivem no regime Taleban. Todas elas vivem à margem de uma sociedade machista onde imperam as leis de um governo autoritário e violento. Mulheres que se escondem atrás de um véu e são submissas às ordens de seus maridos, sem poder opinar ou demonstrar seus sentimentos à sociedade.

Registro aqui dois casos impressionantes que vi hoje, contra a liberdade e a dignidade da mulher:

1) No documentário Afghan Star  mostra a disputa para o concurso de cantores na TV Tolo, de grande audiência nacional. O programa é visto por todos, ricos, pobres, homens, mulheres que para fugirem do cotidiano de gerras, buscam diversão atravéz da TV, um dos únicos meios de comunicação liberados para o povo afegão. Dentre os concorrentes ao concurso está uma jovem afegã que tenta ser reconhecida e seguir seu sonho como cantora. Em uma de suas apresentações ela, além de soltar a voz, também dança, para indignação dos telespectadores.  O caso repercute pelas cidades e a maioria dos homens a tacham de vagabunda, prostituta que envergonha todo o povo afegão. Em alguns depoimentos pelas ruas, muitos homens a condenam a morte pelo ato "obceno" diante das câmeras. Lógicamente, ela não ganha o concurso e é obrigada a se esconder para não sofrer represárias.

2) Saiu  no jornal "Metro"(26/04/10) a notícia: "80 afegãs se intoxicam com "cheiro estranho".
A nota se refere ao fato ocorrido em duas escolas femininas atacadas por gases venenosos. Autoridades suspeitam de ataque praticado por insurgentes do Taleban ao ensino para mulheres. Muitas alunas e professoras passaram mal e desmaiaram  sendo levadas ao hospital. O governo baniu todas as escolas para garotas durante seu governo até 2001, porém até hoje existe uma ala radical contrária ao ensino para mulheres.

Como é capaz que existam no mundo pessoas que tratam um ser  com tamanha crueldade, desprezo e horror, se justificando nas leis de Deus?

Mulheres nulas, mudas, impotentes.

Diante desses fatos, fico com a revolta e a indignação.

Do poeta Homosapien:

"Dói-me quem sou"

Pois sou quem não queria ser...
Dói-me na alma, o universo inteiro
Que chora a dor dos inocentes
Dói-me tudo pelos teus sonhos destuídos
Teu futuro incerto
Dói-me pelo amor que lhe é proibido
Dói-me pelo seu útero que é amaldiçoado
E pelo seu olhar castigado
Dói-me o peito
E depois o pensamento
Pelas crueldades cometidas a ti
E pelas chagas a sangrar e a doer
Dói-me as entranhas pela falta de comida
E o gole de água que você não tem
Dói-me a vida pela guerra e os tiros nas costas que você vê
Dói-me o rosto e o resto pelo véu e a burca que você usa
Dói- me saber que o teu corpo que não é por direito seu
Dói-me a existência pela liberdade que ninguêm jamais lhe deu
Dói-me o grito que lhe deteve
E dói-me muito e muito mais a dignidade que você
nunca teve.

Comentários