Viagem Bélgica - Bruges

  Era uma vez...

....Uma pequenina cidade, mas cheia de belezas em cada canto escondido ou mesmo a céu aberto. Bruges é daquelas cidades cenográficas, que só encontramos em filmes ou cartões postais.


Partindo de Bruxelas, a viagem para a cidade encantada não demorou 1 hora, perfeito para um bate-volta e ainda faz uma parada em Gent. A passagem pode ser adquirida na hora da viagem, na Estação Bruxelas Midi que tem uma excelente interligação com o metrô, no entanto, como esse destino é muito procurado, é bom garantir com um dia de antecedência, e o melhor que não especifica hora e nem poltrona, por isso vale se programar para saber o horario de volta pelos paineis da estação. O preço também não varia muito entre comprar pelo site da Raileurope ou nas cabines da estação. (paguei a minha na própria estação por 19 euros, ida e volta.).


Da Estação Central, para chegar a "Brugge Centrum", basta seguir em frente e em alguns minutos estará no na Grote Markt ou a praça central. Ela possui imponentes construções como o Palácio Provincial, a Câmara Municipal, a Torre Campanário Belfry (onde é possível subir os 100 metros para tirar foto panorâmica da cidade) e a Basílica de la Santa Sangre construção romântica e gótica dos séc. XII (dizem que aí está guardado a gota do sangue de Jesus Cristo) e das casinhas coloridas e charmosas.


Recomendo pegar um mapa da cidade no Ponto de Informação aos Turistas perto da Estação, pois como as ruas têm vários canais é possível contornar a cidade e conhece-la a pé. Nessas andanças, o caminho é recheado de chocolaterias, friterias, cervejarias e casas de waffles...hum...só delicia meodeos! Uma das chocolaterias mais tradicionais é sem dúvida a Dumon, a casinha parece da época de João e Maria, uma gostosura de fofa.






Não tem como não se deparar com casas da época da Idade Média, casinhas coloridas e igrejas que nos remetem a antiguidade; por esse motivo o centro histórico de Bruges é considerado desde 2000, Patrimônio da Humanidade. Ela está situada na província de Flandres, logo, vai reparar que o idioma oficial é o holandês, mas o francês também é dominante. E além de toda essa beleza de arquitetura não há como não se encantar com os belos canais que rodeiam a cidade, Bruges é considerada Venezinha. 


Depois de uma pausa para o almoço degustando um delicioso moules-frites (mexilhões com fritas) fui em direção ao Park The Minnewater, próximo a estação de trem  Sul, ele é  conhecido como Lake of Love por seu ambiente bucólico e romântico. Uma fofura de lugar! (ainda não descobri o real motivo do nome tão famoso).

Vale a pena se perder pelas ruas de Bruges e descobrir um canal mais particular que o outro. E caso sobre alguns euros, é possível pegar uma charrete e andar pelas ruas da cidade ou se preferir alugar um barquinho e percorrer pelas águas tranquilas da cidade. Mas preferi apreciar a caminhada (até porque a cidade é muito plana), e confesso que não me decepcionou nem um pouco.


Bruges é uma cidade para se conhecer em um dia, dois, não mais que isso; o excesso de suas belezas arquitetônicas faz-nos sentir em um contos de fadas na época de principes, reis e rainhas.

Comentários